Um dos motivos alegados para a sua decisão foi que, discorda da forma com a PM vem sendo comandada, mas a gota de água que o levou a deixar o cargo de confiança que ocupava, foi o corte pelo governo da “etapa alimentação” dos policiais militares. A medida atingirá toda a corporação ativa e ainda os mais de mil policiais militares aposentados. Em alguns casos terá PM que sofrerá um corte de 850 reais relativos ao corte do pagamento do benefício.coronel-ulisses

“Eu prefiro ficar ao lado da tropa, com a qual estou no dia a dia; sei das suas dificuldades, do que ficar com o comando da PM, que não se insurgiu contra o fim da chamada “etapa alimentação” pelo governo”, pontuou o coronel Ulisses. Na sua avaliação, para termos um policiamento mais eficaz a PM teria que ter um carro baseado em cada bairro da cidade. Hoje a PM tem apenas 30 carros operando.

 

<< Matéria anteriorChapas para vereador em Sena Madureira podem ser cassadas por ação do MPE
Próxima matéria>>Tatuador é morto com 12 tiros na Rua Joaquim Macedo em Rio Branco