O governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), via Centro de Operações de Emergência (COE), realizou na manhã desta quinta-feira, 30, uma reunião para avaliação da situação da covid-19 no estado. Dentre os pontos principais em discussão estavam a ampliação da testagem em massa e a intensificação da vacinação do público em geral.

Participaram os diretores de gerenciamento de unidades próprias, de redes de atenção à saúde, regulação, administração e planejamento, e gestão do Sistema Único de Saúde (SUS), além da assessoria técnica e representantes das regionais do Juruá e Alto Acre, bem como da Rede de Urgência e Emergência (RUE).

A reunião iniciou com um resumo situacional da doença em nível mundial, federal e estadual. De acordo com dados do Coronavírus Resource Center, Johns Hopkins University (EUA), em 29 de junho, o mundo já havia registrado mais de meio bilhão de casos de SARS-CoV-2 e 6 milhões de mortes pela doença.

No Brasil, nos últimos sete dias foi registrada uma média móvel de 54.695 casos diários de covid-19, um aumento de 30% em relação às semanas anteriores. Observou-se, ainda, um aumento de casos novos da VOC Ômicron, variante predominante no país, seguida pela VOC Delta.

Até esta quinta-feira, 30, o Acre registrou um total de 126.195 notificações positivas e 2.004 óbitos. Segundo dados do Departamento de Vigilância Epidemiológica da Sesacre, a 23ª semana do ano representou o início do aumento de notificações da covid-19, no estado.

Medidas estratégicas

A portaria GM/MS nº 913, de abril deste ano, declarou o encerramento da Emergência em Saúde Pública Nacional (Espin), em decorrência da infecção humana pelo novo coronavírus (2019-nCov), contudo, a Secretaria de Saúde do Acre encontra-se atenta e estabeleceu medidas para conter o aumento de casos no estado.

“A situação da covid-19 no nosso estado ainda é considerada estável, mas esse aumento de casos nos colocou em alerta. Portanto, o comando hoje é ampliar a testagem de pessoas, sintomáticas ou não, para a doença, incentivar os municípios para ações nesse sentido e intensificar a vacinação da população em geral. O aumento das notificações representa também a possibilidade no aumento de casos graves”, pontuou a secretária de Saúde, Paula Mariano.

Dentre as recomendações do COE estão o uso de máscaras em locais fechados, a continuidade e manutenção de outras medidas não farmacológicas como distanciamento social, higienização das mãos, limpeza e desinfecção de ambientes e isolamento de casos suspeitos e confirmados, conforme orientações médicas.

Para os municípios e órgãos responsáveis pelo monitoramento da doença, o COE orienta quanto a continuidade na elaboração de boletins, notas técnicas e de alertas aos profissionais da saúde e comunidade em geral, bem como o registro, o acompanhamento, o monitoramento e o encerramento dos casos notificados dentro das plataformas de dados.

<< Matéria anteriorDecisões judiciais contra shows em municípios sem saneamento adequado reabrem discussão sobre investimentos
Próxima matéria>>Em Feijó, Juiz manda para o presídio por homofobia e injúria racial, mulher que chamou Delegado de gay