Vacinação dos profissionais de saúde, veterinários e agentes funerários com 60 anos ou mais de idade, que estam na ativa, na Clínica da Família Estácio de Sá, na região central da cidade. O município do Rio de Janeiro ampliou hoje (27) o público-alvo da campanha de vacinação contra a covid-19.

O Brasil aplicou a primeira dose de vacinas contra a Covid-19 em cerca de 61 milhões de pessoas até esta sexta-feira (18). Dessas, 24,2 milhões já receberam a segunda dose, concluindo a etapa de imunização. Ao todo, mais de 85 milhões de doses foram administradas no País. Os dados são das plataformas coronavirusbra1 e covid19br, que compilam os números divulgados pelas secretarias estaduais de Saúde.

O número de vacinados com uma dose equivale a, pelo menos, 28,69% da população, segundo a projeção de habitantes para 2021 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os que receberam as duas doses foram 11,37%.

No início deste mês, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que toda a população com mais de 18 anos deve ser imunizada até o final deste ano. Segundo ele, o momento é de busca por mais vacinas, principalmente com o adiantamento em contratos já assinados e com a compra de novos imunizantes.

O secretário executivo do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Mauro Junqueira, avaliou o esforço dos gestores municipais para avançar na cobertura vacinal. “A vacina chega no município e imediatamente é aplicada, os gestores estão fazendo um grande esforço, vacinando a partir do momento que recebem a vacina no seu território, usando sábado, domingo, feriado, para que possamos imunizar o maior número de pessoas possíveis”, disse.

As vacinas disponíveis no País até o momento são a CoronaVac, Astrazeneca e Pfizer, mas já há contratos de exportação firmados para a chegada das vacinas da Janssen, Sputnik V e Covaxin.

A falta de insumos para a fabricação dos imunizantes vinha prejudicando a capacidade de vacinação do País. O Brasil firmou um acordo para a produção do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), o que deve acelerar este processo. A expectativa é que as primeiras doses 100% nacionais sejam entregues em outubro. As instalações têm a capacidade inicial de produção de IFA para cerca de 15 milhões de doses de vacinas.

 

<< Matéria anteriorCampanha “Caneta da Saúde” chega a Brasília
Próxima matéria>>Em 48 horas, mutirão de vacinação do Estado alcança quase cinco mil pessoas