O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, suspeita que Lázaro Barbosa teve uma rede de apoio composta pela ex-mulher e ex-sogra para se manter escondido das forças policiais durante os 20 dias de caçada ao assassino.

“Tínhamos certeza de que havia uma rede evitando que ele fosse pego pela polícia. Nela estava constando a ex-mulher e a ex-sogra. Soubemos que ele, possivelmente, iria para lá e montamos o cerco”, disse o secretário.

A ex-mulher de Lázaro foi ouvida pela polícia e pode responder na justiça pela possível contribuição na fuga de Lázaro. De acordo com a polícia, foram encontrados com o assassino cerca de R$ 4.400,00. Além disso, imagens capturadas por câmeras de segurança desde o início da caçada, até este domingo (27), revelam que o procurado trocou de roupas. Para o secretário Rodney Miranda, o dinheiro e as roupas podem ser indícios de que Lázaro teve ajuda externa para fugir.

“Esse dinheiro é mais uma prova de que ele tinha uma rede de cobertura. Pessoas envolvidas estavam tentando preparar a fuga de Lázaro do estado de Goiás e até do país”, explica o secretário.

Na última quinta-feira (24), um fazendeiro e seu caseiro foram presos pela polícia por suspeita de colaborar com a fuga de Lázaro. Na delegacia, o caseiro disse que o assassino estava escondido na propriedade e o patrão ajudou o fugitivo, inclusive, com refeições e abrigo. No entanto, ainda segundo o caseiro, nem Lázaro e tão pouco o fazendeiro dormiam na chácara. Após ser ouvido pela polícia, o caseiro foi solto. Já o fazendeiro continua preso preventivamente.

Fonte: Brasil 61

<< Matéria anteriorAcre não registra mortes por Covid19 pelo terceiro dia consecutivo, indica Sesacre
Próxima matéria>>Com investimento de R$ 47,7 milhões, Gladson Cameli entrega 90 máquinas pesadas