O primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte, anunciou nesta sexta-feira (12) que o país entrará em lockdown durante três semanas para conter o avanço da Covid-19.

“Trazemos uma mensagem difícil, com medidas que atingem a todos”, disse o premiê interino em um pronunciamento televisionado. “O vírus está em todos os lugares e precisa ser combatido.”

Entre as medidas anunciadas pelo governo estão:

-cancelamento de eventos

-fechamento de teatros e cinemas

-redução nos horários de cafés e restaurantes

-redução nos horários do comércio e mercado

– eventos privados limitados a 4 pessoas

A medida passa a valer a partir de sábado (13), quando o país europeu se tornará o primeiro do continente a voltar à quarentena após o aumento de casos de Covid-19.

A Holanda vem registrando diariamente uma média de 10 mil novos casos de Covid-19, mas a média de mortes se mantém baixa – por volta de 25 a cada dia –, reflexo da alta adesão à vacina.

A Holanda já vacinou cerca de 72,1% de sua população com as duas doses da vacina, segundo levantamento da plataforma Our World In Data .

Na quinta-feira (11), uma comissão de especialistas havia recomendado o confinamento parcial no país. Já era esperado que o gabinete do governo seguisse as definições dos cientistas.

O premiê disse que o governo também avalia a possibilidade de que o acesso a locais públicos esteja limitado apenas a pessoas que estão totalmente vacinadas.

O país – que iniciou sua campanha de vacinação em janeiro – anunciou também que irá começar a aplicar doses de reforço da vacina para idosos a partir de dezembro deste ano.

<< Matéria anteriorO que pode causar falta de desejo sexual?
Próxima matéria>>Boletim Sesacre desta segunda-feira, 15, sobre o coronavírus