Apesar de o rio Acre ainda estar em situação de estiagem desde junho de 2021, a Defesa Civil de Rio Branco já trabalha com a possibilidade de enchentes para o início de 2022, inclusive com impactos semelhantes ou até maiores os que ocorreram em fevereiro e março deste ano.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil major Cláudio Falcão, mesmo com o nível atual do rio em 1,97m, que ainda é caracterizada em nível de alerta máximo, a previsão é que este cenário mude a partir da segunda quinzena do mês de novembro, tendo em vista a frequência de chuvas que vem ocorrendo na capital desde outubro.

“Continuamos em alerta máximo, já quase no sexto mês (nesta condição), mas tivemos chuvas no mês de outubro acima do que foi esperado. Em novembro (as chuvas) têm se mostrado bastante regular, mas não saímos (da condição de estiagem) porque essas chuvas precisam superar o déficit da falta delas no início de 2021”, complementou.

Ainda segundo ele, a Defesa Civil Municipal está finalizando o plano de contingência, que prevê ações que possam contribuir para a redução de impactos de possíveis enchentes que possam ocorrer no ano que vem.

“Nós temos uma previsão com órgãos de meteorologia, com o Sipam (Sistema de Proteção da Amazônia) de Rondônia, de que poderemos ter uma inundação, inclusive com possibilidade de ser maior do que a que aconteceu neste ano. Diante deste cenário, estamos tomando todas as providências para dar socorro, atendimento, abrigo e assistência a todas as famílias que porventura venham a ser atingidas por este tipo de fenômeno”, enfatizou.

 

<< Matéria anteriorEm Brasília, prefeita de Tarauacá se reúne com a deputada Vanda Milani.
Próxima matéria>>O que pode causar falta de desejo sexual?