A deputada Vanda Milani(SOLIDARIEDADE)participou esta terça-feira, 24, em Brasília, na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados, de audiência Pública com a participação do ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, que apresentou a nova agenda programática e as prioridades da nova gestão ministerial. Dentre as ações em curso em sua pasta, Joaquim Leite relatou iniciativas como o Plano de Combate ao Desmatamento, Lógica Reversa e programas como o Floresta +Empreendedor, Floresta + Carbono, Floresta +Bioeconomia e Reciclagem de óleo lubrificante.

O ministro, aliás, fez questão de ressaltar ainda que um dos grandes desafios de sua gestão está na qualidade ambiental urbana. Vanda Milani lembrou que no início do o Governo Bolsonaro, o Brasil contava com mais de 3 mil lixões a céu aberto (foco de intensa contaminação do solo, água e ar). E quis saber o que o Governo Federal conseguiu fazer nesta área. O ministro informou, então, acerca da criação do programa Lixão 0(em 2019), a desativação de 620 lixões, investimentos de mais de 180 milhões para apoio a municípios no melhoramento a gestão de resíduos e informatização da gestão do lixo.

Ao falar sobre combate ao desmatamento, o ministro ressaltou sobre a garantia de recursos para quem trabalha pelo meio ambiente. Foi quando Vanda Milani destacou a Joaquim Leite que o homem amazônico é o grande defensor da Amazônia e lembrou de sua recente viagem à Floresta do Chandless, numa ação humanitária realizada pelo Governo do Estado através da Secretaria do Meio Ambiente, onde residem mais de 70 famílias em completo isolamento, resultando em grande satisfação da comunidade local. A parlamentar, em seguida, indagou do ministro qual o plano de trabalho para a Amazônia.

Eficiência 

Joaquim Leite respondeu que semanalmente viaja à Amazônia e que o Fundo Amazônia está em negociação com a Vice-Presidência. Ele ainda questionou sobre a eficiência da aplicação de recursos na região.” Somente 20% do total dos recursos conseguidos para a região chegaram efetivamente ‘ao chão’. Não houve, anteriormente, esta preocupação”. De acordo com o ministro, programa Floresta + está renegociando de forma eficiente estes recursos.” Cujo objetivo primordial, agora, é desenvolver economicamente a Amazônia”.

Por fim, Joaquim Leita falou de sua preocupação com a participação do Brasil na Conferência Mundial do Clima (em Glasglow/Escócia).” Queremos ter uma participação pró-ativa e mostrar o que vem sendo feito em termos ambientais no Brasil, com foco especial para a venda de crédito de carbono”. Vanda Milani reiterou a especial atenção de seu trabalho parlamentar com o meio ambiente, “e colocar todo nosso esforço, uma vez mais, no desenvolvimento da questão ambiental juntamente com o progresso e desenvolvimento da Amazônia”

<< Matéria anteriorFeijó, Tarauacá e Rio Branco polarizam disputa pelo governo do Acre, segundo pesquisa interna do PT
Próxima matéria>>O mundo não seria o mesmo sem você ao serviço da nossa pátria, afirma Vanda Milani