A deputada federal Vanda Milani (Solidariedade-Ac) que em julho deste ano aparecia com apenas 0,5% das intenções de votos para o Senado Federal, cresceu e de acordo um dos cenários pesquisado pela Delta – Agencia de Pesquisa, chegou a 11,10%, empatada tecnicamente com a pré-candidata Márcia Bittar (14,57%) e à frente da atual senadora Mailza Gomes (4,74%). Vanda Milani está em processo de migração para o PROS, partido que lhe garantiu legenda para a disputa majoritária.

Em todos os cenários analisados a deputada cresceu com relação à última pesquisa feita por institutos diferentes. Até nas intenções de votos espontânea a parlamentar aparece na memória dos eleitores acreanos. Sem Jorge Viana na disputa ao Senado e hipoteticamente disputando o governo, Vanda Milani chega a 11,10%, melhor avaliação na pesquisa.

Segundo a Delta – Agência de Pesquisa, foram entrevistadas 865 pessoas entre os dias 26 de outubro a 6 de novembro. O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro estimada é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi realizada com eleitores de 16 anos ou mais da área em estudo.

Forte atuação em Brasília

Eleita em março este ano primeira colocada do Ranking dos Políticos 2021, a deputada apresentou melhor desempenho legislativo do que todos os membros da bancada federal do seu estado. Vanda Milani também se destacou, segundo a Associação dos Municípios do Acre (AMAC), por ser a que mais destinou emendas para a saúde pública em todos os municípios este ano.

Além da presença nos debates da Câmara dos Deputados e participação em todas as votações importantes para o país, Vanda Milani tem forte atuação contra privilégios e corrupção. No Acre, adotou uma estratégia de diálogo na construção de sua pré-candidatura, ela garante contar com apoio de 9 prefeitos e de uma base forte de vereadores e militantes.

“Estamos trabalhando e vamos continuar trabalhando, dialogando, andando em todos os municípios e elegendo as prioridades que possam melhorar a qualidade de vida das pessoas. Creio que os números dessa nova pesquisa refletem essa nossa decisão de colocar o Acre e as pessoas acima de quaisquer bandeiras partidárias, agindo pelo bem coletivo e liberando recursos para obras estruturantes em todas cidades, gerando emprego e renda, além de investir forte no setor produtivo”, analisou a deputada.

A parlamentar foi a única a pagar através do governo federal, todas as suas emendas individuais e impositivas, um total de R$ 16,3 milhões que já estão nas contas dos municípios. Somando o percentual permitido pelas emendas individuais e recursos extras, foram empenhados e pagos R$ 10 milhões para o Programa de Atenção Básica (PAB) dos municípios.

De olho na retomada do crescimento em todo o país, a deputada liberou R$ 5,8 milhões através de pagamento especial de emendas impositivas para os municípios de Assis Brasil, Brasileia, Capixaba, Jordão, Marechal Thaumaturgo, Plácido de Castro e Sena Madureira. A modalidade permite que os recursos sejam creditados diretos nas contas das prefeituras e passem a ser geridos pelos entes indicados. Os recursos estão nas contas e várias obras em processo de licitação.

Com R$ 14 milhões de emendas impositivas e de bancada destinados para o agronegócio e a agricultura familiar, Vanda Milani garantiu R$ 9,8 milhões para o governo comprar máquinas e implementos agrícolas para o setor produtivo. Para ela, “o Acre vive um novo momento econômico que exige fortes investimentos em infraestrutura para os grandes empreendedores, além de apoio para o pequeno produtor rural. O campo forte é sinônimo de cidade desenvolvida”, acrescentou.

Com relação ao palácio Rio Branco, Vanda Milani afirma que continuará apoiando o governador Gladson Cameli. “Sou a parlamentar que mais destinou emendas para o governo do Acre, enquanto ele me quiser na sua base eu estarei por que entendo que isso seja o melhor para o povo do meu estado, quem represento na Câmara Federal

<< Matéria anteriorBoletim Sesacre desta segunda-feira, 15, sobre o coronavírus
Próxima matéria>>Ministério da Saúde aumenta recursos para prevenção e tratamento de câncer de próstata