A deputada federal Vanda Milani (Solidariedade-Ac) se manifestou favorável à devolução dos recursos destinados ao Plano Safra e ao Pronaf reduzidos no orçamento geral da união (OGU). A parlamentar destacou que a agricultura familiar depende dos investimentos públicos para custeio e produção.“Esse é um setor que não pode ser prejudicado por falta de recursos. Afetaria diretamente na produção de riquezas. A agricultura familiar vive um novo momento, no Acre, tivemos recorde na balança comercial impulsionada pelo setor produtivo e a tendência é de continuidade no crescimento econômico. Em todo o país o pequeno produtor depende de políticas públicas”, acrescentou a parlamentar.Vanda Milani destacou que todo o setor produtivo contribuiu para o PIB 2020 ampliando para 26,6% sua participação no PIB total do país no ano passado. “O momento é de ampliação dos recursos para impulsionar ainda mais nossa economia” argumentou a parlamentar.

O Orçamento para 2021) foi sancionado semana passada com cortes de R$ 2,5 bilhões no montante de subvenções originalmente destinadas à agropecuária. Após acordo, o Executivo encaminhou ao Congresso Nacional a recomposição de algumas dessas rubricas e a ampliação de outras.

“O próprio Ministério da Economia admitiu a necessidade de devolver pelo menos R$ 1,8 bilhão ao financiamento agropecuário 2021 e com isso não prejudicar o Plano Safra e os recursos para o Pronaf”.Segundo apontamento do Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), atualmente, a agricultura familiar corresponde a 38% do PIB (Produto Interno Bruto) agropecuário do país. A deputada ressalta a criação de emprego e renda no campo e o combate à fome.

“Vamos trabalhar ativamente para melhorar a qualidade de vida do homem do campo. Zona rural forte é sinônimo de uma cidade desenvolvida”, concluiu.

 

<< Matéria anteriorVanda Milani reduz estrutura de gabinete durante a pandemia e economiza mais de meio milhão de reais em verbas públicas
Próxima matéria>>Justiça de Feijó nega pedido de liberdade a padrasto denunciado por estupro de vulnerável